terça-feira, 25 de agosto de 2015

Primeiro abraçou António Capucho, depois piscou o olho a Manuela Ferreira Leite e, por arrasto, passou a mão no pêlo de Pacheco Pereira. Agora leva Ribeiro e Castro para a reentré.

Não vou tecer grande considerações sobre as cambalhotas e silêncios ensurdecedores de algumas destas pessoas, as ações ficam com quem as pratica. No entanto, não posso deixar de sublinhar que em 2009 MFL apresentou-se a eleições com a sua Política de Verdade que alertava já para o estado depauperado das finanças públicas e para a necessidade de se inverter o rumo, sendo secundada quer por António Capucho quer por Pacheco Pereira, e não consta que Ribeiro e Castro discordasse desta visão.  

Já António Costa pontificava como nº2 na barricada oposta, da qual os epítetos mais simpáticos que saíam para se referirem a MFL era “a velha”, “a bruxa”, entre outros. Não consta que Costa tenha tentado colocar travão a este tipo de campanha ou que concordasse com a denominada Política de Verdade, antes pelo contrário. Agora, 6 anos depois, e em desespero de causa, vale tudo.

Isto diz muito sobre o carácter das pessoas, quer de um lado quer do outro.