quarta-feira, 9 de setembro de 2015

Regime de Exclusividade...

Na altura da aprovação das listas de deputados do PSD um dirigente destacado, que conheço, defendia que quem está comprometido com o projeto nacional na qualidade de candidato a deputado, e com garantia de ser eleito, deverá fazê-lo em regime de exclusividade dedicando todo o seu tempo a essa nobre tarefa de deputado.



Por outro lado defendia o mesmo dirigente que esses deputados à AR não devem ocupar cargos autárquicos de relevo, dando assim espaço a outros que possam comprometer-se em exclusivo com o projeto autárquico (seja ele na Vereação, na Assembleia Municipal, ou como Presidente de Junta de Freguesia) garantindo assim que o PSD consegue dois elementos empenhados e em exclusividade tanto para o parlamento como para a Autarquia em vez de um apenas a meio gás em ambos os lugares. 



Concordei com a perspectiva na altura e considero que deve ser uma ideia defendida para hoje e para o futuro. O PSD tem quadros mais que suficientes para ambos os projetos e devemos estimular essa mesma especialização para bem do futuro e do crescimento do PSD. 
Defenderei esta ideia para que prevaleça. Só espero que o mesmo dirigente que me motivou a defender esta ideia não tenha mudado de opinião (creio que não). Eu mantenho a minha convicção mesmo que ela possa ferir algumas susceptibilidades.

Porque pedir desculpa é pior que não ter razão...