sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Algumas notas sobre a sondagem da SIC/Expresso/Eurosondagem

Para alguns o copo não é nem meio cheio nem meio vazio, é tão somente de vinho.

Após vários estudos que apresentam o PS atrás da coligação, nomeadamente o do DN/JN/Católica, surge a visão do Rui Oliveira e Costa e da Eurosondagem.

No seu estudo não apresentam um copo meio cheio, com a Coligação à frente, nem meio vazio com o a coligação atrás, apresentam o tal copo de vinho.  O PS está à frente do PSD (sim do PSD não coligado) e o CDS encontra-se como a 4 força política.

Pessoalmente parece-se um sinal muito negativo para o PS estar apenas 0,7% à frente do PSD, quem diria, o PSD apenas precisa de 0.7% +1 voto para ganhar sozinho as eleições. Epá o Costa deve estar que nem pode, o António.

Recordem-se que em Abril de 2014, com o Seguro como Secretário Geral o PS estava perto da maioria absoluta (lê mais aqui) e que em Janeiro desse ano o PSD tinha um resultado inferior ao que o Sócrates teve (lê mais aqui).

(Sondagem SIC/EXPRESSO/EUROSONDAGEM retirada daqui)

É sempre um risco analisar as sondagens da Eurosondagem, fico sempre com a sensação que são estudos que estatisticamente (e um dia ainda ei de fazer este apanhado) resvalam para um dos lados. Minto, o estudo que publicam mesmo antes de eleições já costuma estar um pouco mais equilibrado. Digamos que se sabemos que por norma 65% do eleitorado está fechado 6 meses antes das eleições e que as variações no último mês são sempre muito pequenas é estranho quando encontramos grandes diferenças entre sondagens.

No entanto, a Eurosondagem é muito importante, especialmente para a dinâmica de uma campanha, pois é a credibilidade que o Expresso e a Sic lhe dão.

(Sondagem DN/JN/CATÓLICA retirada daqui)