terça-feira, 22 de dezembro de 2015

Banif, Coerência e...Pedro Passos Coelho

Recordo que Pedro Passos Coelho disse na sua 1ª intervenção como deputado, "...No dia em que o governo do Dr. António Costa necessitar do voto do PSD para aprovar alguma coisa, ele deverá pedir desculpa ao povo português, demitir-se e convocar novas eleições". 

Ora depois da Coligação PaF ter sido "arrepiada" do governo, embora eleita legitimamente, será que irão sustentar o governo PS contrariando não só as políticas defendidas pelo PSD e CDS mas principalmente pela maioria dos portugueses que votou na coligação? Veremos amanhã na votação do Orçamento rectificativo. 

Uma coisa é certa, o PCP - parceiro que viabilizou o governo PS - vai votar contra e resta agora perceber se, com o voto no mesmo sentido, o CDS/PP vai aproveitar a oportunidade para se "libertar" da aliança com os social-democratas e ganhar assim espaço no centro-direita.


Oscar Wilde dizia que "a coerência é a virtude dos imbecis", no entanto ele era apenas um poeta e não passava pelas suas "mãos" os destinos de um qualquer País. O mesmo não podemos dizer de Pedro Passos Coelho que muitos esperam não tenha, sobre a coerência, a mesma visão de Oscar Wilde.