segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

e a figura do meu 2015 é... o/a refugiado/a

Fogem dos seus lares, temem pelas suas vidas por causa dos conflitos, pelas grosseiras violações dos seus direitos humanos; atravessam países e mares arriscando a vida à procura de uma existência mais digna ou de uma qualquer existência...

São estes homens, mulheres e crianças que marcam o meu 2015.

Eu sei que as imagens são duras, mas não chegam sequer perto do quão duro é o dia-a-dia destas pessoas.

Pensem nisto. Só um bocadinho.

Um grande 2016 para todo/as, mesmo todo/as :-)