segunda-feira, 7 de dezembro de 2015

Há uma guerra que o DAESH continua a ganhar

A vitória da estrema direita francesa, da Frente Nacional de Le Pen, é um retrocesso para a Europa.

Para um protejo europeu que tem nos seus fundamento a Liberdade e a Fraternidade, este refúgio dos franceses na estrema direita é um revés considerável, é um prego no futuro da Europa. Tudo o que nos enfraquece fortalece os nossos inimigos, e assim o Daesh consegue mais uma vitória. (lê mais aqui)

É difícil de acreditar mas é verdade, com receio do fundamentalismo islâmico os franceses tentam proteger-se no outro extremo, na xenofobia e no nacionalismo tacanho. 

Já referi várias vezes neste blogue que acabou o momento de soluções diplomáticas para um problema onde uma das partes não reconhece o conceito de diplomacia, que é tempo de atuar, mas nunca transformar a Europa numa super prisão rodeada por um muro (lê mais aqui), nem tão pouco transformar a Europa num aglomerado de estados securitários. 

A Europa não é cristianismo nem o islamismo, é o secularismo, é a Liberdade e a Democracia.

Fica a malha da direita, do Presidente da Comissão Europeia Jean-Claude Junker em Julho de 2014.