sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Quem disse que era fácil?

Com tantas promessas para janeiro de 2016 e sem Orçamento do Estado para as aprovar, o Governo do PS confronta-se  com um problema. Terá de acelerar o processo, muito embora sem poder prescindir dos prazos legalmente previstos, ou encontrar uma solução legislativa de forma a acomodar algumas das medidas até que o OE entre em vigor. Isto, para não ter de passar por incumpridor o que levaria à perda de confiança e de crédito junto do eleitorado de esquerda que suporta a maioria de esquerda parlamentar e para não criar fissuras antecipadas na coligação negativa de esquerda. Já de si não é fácil gerir acordos com o BE e com o PCP, quanto mais se não lhes for dado o devido e prometido cumprimento. É que à primeira falha começarão a levantar-se as primeiras vozes da discordância e evidenciar-se-ão as inquestionáveis divergências ideológicas por agora adormecidas. Quem disse que era fácil?