sexta-feira, 1 de janeiro de 2016

Da saga os deuses devem estar LoucoS ...

Aí está a 4ª bancarrota!

Disse um dia Einstein que "não sei como será a terceira guerra mundial, mas a quarta será certamente travada com pedras e paus".

Todos sabemos no entanto como foi a terceira Bancarrota Portuguesa.

Ninguém sabia como seria a 4ª Bancarrota, mas parece que a dúvida chegou ao fim. E parece que é bastante diferente das primeiras 3. Estamos a vivê-la em pleno!

E talvez por não sabermos como ela seria ainda não a identificamos.

Eis a quarta bancarrota portuguesa, que ficará, por certo, conhecida como "A BANCARROTA DOS VALORES".

Como todas as Bancarrotas chegou depressa, parecia um furacão. Se nas três primeiras o problema foi financeiro, esta apresenta-se com uma roupagem diferente e com traços que a fazem prever mais perene.

Desde a tomada de posse do XXI governo constitucional temos muitas novidades em termos de valores, uma verdadeira revolução dos costumes e princípios mais profundos da nossa sociedade, ora vejamos: É agora crime (e bem) abandonar um animal, este grande passo civilizacional votado por toda a esquerda, ocorreu no mesmo século, ano e mês em que a esquerda não considerou crime o abandono de idosos, votando contra e abstendo-se!

Passou a ser crime também um homem dizer a uma mulher algo do género "Privatizava-te toda!". Sim o piropo agora é crime! Mas só se um homem o dirigir a uma mulher. O contrário ainda é permitido e um Homem pode sempre ser brindado com um "Não gostas das meninas do Bloco? Hummm deves ser daqueles..." Aliás esta diferença de tratamento já tinha começado há bastante tempo atrás, quando uma mãe passou a ter o direito a praticar livremente um aborto até às dez semanas e o pai calar e ter de aceitar.

Portanto, portugueses, já sabem, dar um piropo a uma menina é crime, por muito elaborado e com muito estilo que seja! Homens portugueses, querem mandar uns piropos? Olhem façam-nos a outros homens, segundo parece isso ainda não é crime...
Restam no entanto algumas dúvidas... Dizer " Fazia-te um filho" é agora crime, no entanto a lei parece omissa se as palavras forem "Fazia-te um aborto baby!".

Antigamente fez-se a cultura da exigência, introduzindo exames, para validar competências e aumentar o valor da escola, vivíamos no tempo em que para estudar era importante saber, em que o mérito era reconhecido, em que melhorávamos a cada ano nos índices de literacia a nível mundial. A matemática (antes uma dor de cabeça) era agora motivo de orgulho dos estudantes portugueses, que ano após ano arrancavam medalhas nas olimpíadas mundiais da matemática. Mas numa manhã, sem aviso prévio, eis que os exames acabaram em nome de qualquer coisa esguia que nunca nos foi clarificada...

Prepara-se agora a descriminalização do consumo de drogas... Se antes tínhamos um turismo cada vez mais pujante, que tanto dinheiro trouxe a Portugal, teremos agora (em oposição à melhor praia do mundo, melhor destino de férias, melhor cidade para visitar...) a luta internacional pelas "melhores salas de chuto do universo", pelos "traficantes mais sexy do planeta", ou um Globo de Ouro para a "moca com mais estilo"?

Mas nada fica perfeito sem a legalização da prostituição. Neste país e depois desta "Revolução Cultural" é preciso que os homens (que já não podem dar um piropo a uma menina, mas podem consumir drogas e abandonar os seus velhos num qualquer hospital) se possam divertir.

Assim a prostituição legal, vai permitir a esses homens dizerem os piropos (de bom ou menos bom tom) em privado, a uma prostituta que contratem numa qualquer esquina...
Pensamos que aí já não será considerado piropo dizer algo do género... (melhor não dizer, pode ser crime e não estamos nem no quarto 69 da pensão da esquina nem as salas de chuto estão ainda em funcionamento... Melhor mesmo é estarmos calados - é que a liberdade de opinião também deve ser criminalizada em breve...)

O corolário de tudo isto será por certo a descriminalização de médicos que operem sob o efeito de Cannabis ou uma pena anulada se o cirurgião matou o doente no bloco, apenas porque estava sob o efeito de canabinóides... Será crime apenas se o médico estiver lúcido. Assim como uma maquinista da Carris, Metro ou CP se tiverem um acidente serão imediatamente testados aos canabinóides e, com um resultado positivo, então foi apenas por consumo de substâncias legais e não se podem culpar estes profissionais...

Com tantas "reversões evolutivas" que viram "uma nova página" no ensino, o produto nacional das nossas escolas no "Tempo Novo" serão os mais felizes cirurgiões do mundo, com um orgulhoso currículo de consumo de canábis, cidadãos impreparados e sem qualquer conhecimento da nossa longa Historia (Até porque a nossa história aparentemente é fascista!)

Já os políticos do futuro com toda a "preparação" qualitativa das escolas do "Tempo Novo" estarão eles também, na sua viagem canabinóide, rodeados da feliz miséria do povo, muito ocupados a discutir como "arrancarão" dinheiro de um partido para o outro, sem saberem que o dinheiro de que falam na realidade é do povo e não de um qualquer partido... (Ou será que isto já foi dito?)

Começando com Einstein, só se pode acabar com Einstein que disse também um dia "Loucura é fazer sempre o mesmo e esperar resultados diferentes".

Joana Barroso Calisto e Alberto Moura