sexta-feira, 15 de março de 2019

ANTES TIVESSE IDO PARA PARIS


O Semanário Sol, publicita que «Passos Coelho foi aumentado em 800 euros pelo ISCSP depois de passar a "tempo integral"».

A respeito desta NÃO NOTÍCIA, vamos por partes:

A legislação determina que os professores convidados são recrutados, por convite, de entre individualidades, nacionais ou estrangeiras, cuja reconhecida competência científica, pedagógica e ou profissional na área ou áreas disciplinares em causa esteja comprovada curricularmente. É o caso de Pedro Passos Coelho nas áreas de administração pública e ciência política.

Pedro Passos Coelho não é catedrático. Pois bem, vejamos os exemplos de Mário Soares, Luís Amado, Paulo Macedo, Vítor Constâncio ou Guilherme d’Oliveira Martins que não sendo doutorados foram convidados para o cargo de professor catedrático convidado.

O regime de contratação de professores convidados serve precisamente para dar liberdade à academia de ir procurar no mundo não-académico determinadas experiencias que a Cátedra não detém ou não consegue por outra via assegurar.

Por fim a questão remuneratória. Pedro Passos Coelho passou do regime de “tempo parcial” para “tempo integral”, o que implicou como é obvio a respetiva mudança salarial, representada num aumento de 800 euros.

Resumindo e concluindo, antes Pedro Passos Coelho tivesse ido para Paris a expensas dos amigos e estes escândalos não sucediam!!!
 
 

Sem comentários:

Publicar um comentário